Eixos temáticos

As propostas de comunicação apresentadas no âmbito deste Congresso devem estar subordinadas a um dos seguintes eixos temáticos:


Eixo 1. Currículo e Ensino da História

Este eixo temático visa potenciar a reflexão no âmbito de duas dimensões distintas: por um lado, perceberem-se os contornos inerentes ao conhecimento histórico selecionado para a estruturação da disciplina escolar de História (ou Ciências Sociais), bem como a sua relação com o macrossistema social, nas várias realidades nacionais; por outro lado, ocasionar uma compreensão alargada sobre o modo como as orientações curriculares oficiais se interrelacionam com a prática docente em cada um dos contextos escolares. 


Eixo 2. Temas sensíveis na História

Utilizando o termo proposto por Alain Legardez e Laurence Simonneaux (2006), as “Questões Socialmente Vivas” podem ser definidas como temas sensíveis ou assuntos complexos do passado sujeitos a controvérsia e integrados em contextos atuais. Este eixo temático sugere a partilha de experiências, reflexões, ideias e sentidos que o ensino e a aprendizagem de “temas sensíveis na História” produzem, com o claro intuito de fomentar um diálogo fundamentado e necessário em torno de questões que, por mais recuadas que se encontrem no tempo, ainda estão bem “acesas”.


Eixo 3. Consciência histórica e Humanismo

A consciência histórica permite uma experiência consciente e inconsciente de relações significativas do presente com o passado(s) e horizontes de expectativa, na qual se conjuga o cognitivo com o emocional, o empírico e o normativo. Neste sentido, emerge a multiperspetiva assente em ideias de diferença e pluralidade. Mas, urge repensar a identidade histórica na unidade da Humanidade. E debater epistemologicamente os significados de “ser-se um ser humano”: que ideias emergem entre alunos, professores, educadores e que abordagens em linha com a educação histórica podem contribuir para que se desenvolvam experiências históricas de maior amplitude (história universal) e de maior profundidade em termos de elementos normativos (dignidade humana)?


Eixo 4. Formação de Professores: inicial e contínua

O processo de formação de professores evidencia o modo como o professor constrói a sua identidade, como estrutura a sua ação educativa e as expectativas que tem no desenrolar da sua profissão. Este eixo temático visa refletir e debater sobre os princípios epistemológicos e metodológicos da formação de professores de História (ou Ciências Sociais), procurando equacionar problemáticas que permitem compreender a relevância dessa formação face aos novos desafios societais e das políticas educativas, bem como apresentar modelos de formação inicial e contínua de professores operados pelas instituições superiores ou outras instituições que fomentem o profissionalismo docente e o desenvolvimento profissional.


Eixo 5. Aprender e Ensinar na Era Digital

Conviver com as tecnologias é potenciar as suas virtualidades, mas também preparar-nos e alertarmos os nossos alunos para os seus perigos. A Escola é um ótimo local para essa troca de experiências, competências e utilizações. A História pode ser um bom ponto de partida para uma Educação integradora, inclusiva e, sobretudo, crítica face às manipulações que entram no quotidiano (fake news ou deep fake, por exemplo) e que tentam impedir-nos de pensar, ou controlar o nosso pensamento. A Didática da disciplina pode contemplar todas as fases da construção crítica de um saber consolidado e alicerçado em fontes consistentes.


Eixo 6. Conceções e Práticas em Educação Histórica

Tendo como referência a ideia de que os conceitos epistemológicos influenciam quer a teoria quer a prática em Educação Histórica, este eixo temático estabelece um diálogo entre a investigação sobre os sentidos que os estudantes de diversos níveis de ensino vão construindo sobre a História e os estudos sistemáticos acerca das conceções dos professores sobre o processo de ensino e de aprendizagem, e como estas se traduzem nos métodos e nas práticas de ensino, com destaque para o papel do "professor-investigador social”.

 .